Skip to content

“ISIS” e Grupos Terroristas Relacionados São
Criados e Geridos por Judeus!

O grupo terrorista conhecido como “ISIS” (Estado Islâmico) esteve a fazer manchetes nos últimos tempos, no entanto, muito poucos estão conscientes da verdade sobre este organização maligna, ou seja, que não é nada mais do que uma frente falsa e um programa organizado para destruição dos povos gentios.

O próprio programa do Islão é uma frente judaica que visa escravizar os povos gentios do oriente como pode ser visto nos seguintes artigos:

Este artigo irá expor que “ISIS” é mais uma mentira com o objectivo de colocar os gentios do ocidente contra os gentios do oriente.

Por que (realmente) a utilização do nome de uma Deusa egípcia?
“ISIS” supostamente significa “Islamic State in Iraq and Syria” (Estado Islâmico no Iraque e na Síria). Pelo menos esta é a fachada que eles retratam. Por outro lado, há uma poderosa ligação subconsciente que os criadores deste programa estão aproveitando. Como já foi dito por muitos que pode ver através dessa frente, por que árabes usam uma sigla em inglês? Claro que isso não faz sentido e este é o primeiro sinal de alarme sinalizando que “ISIS” não tem origem árabe.

Quando mais investigação é feita, torna-se evidente que a sigla “ISIS” tem de fato sido muito utilizado pela Mossad, o grupo de inteligência secreto israelense, e agora foi reutilizado a fim de nomear esse grupo terrorista controlado por judeus. Note isso:

Israeli Secret Intelligence Service (Serviço Secreto de Inteligência Israelense).
A primeira letra de cada palavra no título soletra ISIS, e este grupo tem sido conhecido como ISIS desde a sua concepção. De facto são os judeus que têm usado o nome de Isis para seus grupos terroristas.

Então, por que disso?

A religião original da humanidade (dos gentios) é o antigo paganismo. Por favor, consulte os seguintes links para mais informações sobre isso:

Devido aos fortes laços subconscientes que nós, como os gentios, têm de nossas raízes pagãs originais, é impossível que o inimigo erradique o paganismo completamente. Assim, eles roubaram tudo, desde nossas Alegorias Espirituais à nossas práticas sagradas, templos, nomes e títulos dos nossos Deuses, antes de distorcer eles, corrompendo-os, substituindo-os com sua sujeira judaica e, em seguida, tornando-os contra nós como instrumentos de escravização. Estes laços que ainda temos também permitem que o inimigo atinja o subconsciente dos nossos povos gentios, drenando a partir desta poderosa energia e usando-a para si. Eles sabem muito bem como tirar proveito disso. Essencialmente, eles não só ROUBARAM tudo de nós, mas depois passaram a usar o que eles roubaram contra nós. Esta é uma prática comum em todo os programas inimigos, tanto pelo cristianismo como pelo Islão.

O uso do nome do ISIS, além de ser uma sigla, é outro exemplo disso. Como a maioria das pessoas sabe, Isis é o nome de uma poderosa Deusa egípcia. Isis também passa pelos nomes de Inanna, Ishtar, Ostara, Astarte, Afrodite, Al-Uzza, ASTAROTH etc. Isis é uma Deusa antiga que remonta aos primórdios da humanidade e esteve ao nosso lado desde o nosso nascimento. Como uma Deusa da fertilidade, maternidade, primavera, guerra, beleza, o aspecto feminino divino da alma, o amor sexual e romântico e outros aspetos muito importantes das nossas vidas, a lembrança dela está impressa no fundo de nosso subconsciente.

O inimigo tem usado esse nome a fim de por as mãos em uma grande quantidade de poderosa energia subconsciente que tentaram usar contra nós. Ao mesmo tempo, é uma blasfêmia e uma bofetada no rosto desta Deusa antiga. O facto de que eles têm utilizado esse nome para a sua “sigla” não é coincidência. 

Qual é o verdadeiro propósito do “ISIS”?
Todo mundo sabe que “ISIS” diz que seu propósito é estabelecer um Estado Islâmico (lembre-se de que o Islão é apenas mais um programa judaico. Veja os links indicados acima). No entanto, seu verdadeiro propósito é muito mais profundo do que isso e envolve, em grande parte, jogar em ambos os lados contra o meio.

Jogar em ambos os lados contra o meio “para manipular adversários ou concorrentes de uma forma que beneficia o manipulador”. Em outras palavras, controlando dois grupos, a fim de usá-los uns contra os outros ou para criar uma ilusão que trabalha para favorecer os manipuladores. O ponto principal é que haja um único manipulador que tem controle sobre ambos os lados sem o conhecimento do resto. Os judeus têm usado essa tática desde o início dos tempos.
Veja o artigo: Como os judeus controlam ambos os lados “opostos”

Como ele se articula com este artigo: eles controlam tanto o grupo terrorista “ISIS” bem como a suposta oposição a ele. O objectivo é fazer com que pareça que eles estão a lutar contra um terrorista inimigo estrangeiro para aqueles que são ignorantes. Na realidade, isso é uma ilusão gigantesca. Não há terrorista estrangeiro inimigo. Existe apenas a sua frente falsa que é apenas um ramo de si mesmo.

O que eles fizeram? Eles culparam a criação e as acções deste grupo terrorista em árabes GENTIOS, voltando a atenção do mundo para longe dos judeus e para outro grupo. Isto é conveniente para eles, pois desperta ódio e raiva entre nossos gentios em vez de dirigir esse ódio e raiva contra o inimigo real. Enquanto lutamos entre nós, eles estão livres para continuar o que quiserem. O objectivo deles é nos destruir por dentro. Por que sujar as mãos e nos matar quando eles podem nos convencer a fazer o trabalho para eles? É muito mais fácil dessa maneira. Eles querem que a gente faça o trabalho sujo, criando ódio e animosidade entre nós. Isso lhes dará a oportunidade perfeita para se moverem em destruir-nos com o nosso apoio e com os nossos soldados cegamente sua realização. Seu trabalho é muito fácil.

90% do mundo ocidental estão a gritar “combata os árabes”, porque eles foram enganados em acreditar que os ataques terroristas são de origem árabe, enquanto os judeus estão, então, levantando-se e alegremente responde “bem, vamos ajudá-los. Melhor ainda, se apoiar-nos, participar de nosso exército, vamos entrar em guerra contra eles juntos e destruí-los de uma vez por todas”. Então, tem-se gentios marchando para a destruição de gentios enquanto os judeus riem de sua acção. É um triste estado de coisas, para dizer o mínimo.

Há um outro propósito central para a criação de “ISIS”, que é para ganhar apoio para Israel na guerra contra os habitantes gentios do Oriente Médio, para que eles possam tomar sua terra com facilidade. A muito tempo eles invadiram a Palestina e a Faixa de Gaza, forçando a nossa contraparte gentia do Oriente próximo a sairem de suas casas e da terra que trabalharam durante séculos. A terra que por direito pertence a eles como os habitantes originais gentios.

É tudo propaganda.

Aqui está uma citação interessante de um ex-agente de segurança dos EUA: “a única solução para a proteção do Estado judeu é criar um inimigo perto de suas fronteiras.” Ao invés disso, a ilusão de um inimigo.
http://www.globalresearch.ca/isis-leader-abu-bakr-al-baghdadi-trained-by-israeli-mossad-nsa-documents-reveal/5391593

Líderes no topo do “ISIS” são todos judeus de sangue
Pode ou não pode vir como um choque para alguns que o fundador do “ISIS” é na verdade um cidadão israelense, tendo pais judeus e operando dentro da “Mossad” judaica. Abu Bakr Al Baghdadi é de facto cidadão israelense e o agente da Mossad disfarçado chamado Simon Elliot. Há literalmente milhares de provas para isso, se for feita a pesquisa necessária, apesar de que esse facto ser e ter sido veementemente reprimido nos media das massas.
http://topinfopost.com/2014/08/08/isis-leader-al-baghdadi-is-a-jewish-mossad-agent-french-reports

*Nota que a ligação acima (em inglês) apoia o programa do Islão. A fim de estar plenamente consciente e sair completamente livre da armadilha em que os judeus têm te colocado, é preciso entender que o próprio Islão é apenas uma outra cortina de fumaça judaica e ainda outro programa de destruição para os nossos gentio. Por favor, leia todo o conteúdo do website Expondo o Islão.


Abu Bakr al-Baghdadi, o tal “Calipha”, cabeça do Estado Islmâmico é, de acordo com fontes renomadas originais de Edward Snowden, um actor israelita chamado Simon Elliot, que também é agente treinado do Mossad.

Assim como Simon Elliot, há uma infinidade de outros agentes “ISIS” e aqueles envolvidos em grupos terroristas dirigidos por judeus relacionados, cujos nomes reais provam que são de ascendência judaica. “Adam Gadahn” é, na realidade, Adam Pearlman, um membro da ADL. Sua ascendência judaica tem sido bem documentada. Aqui está um trecho da Wikipedia: “Gadahn vem de seu avô paterno judeu, Carl Pearlman, foi um urologista proeminente; e no Conselho de Administração da Anti-Defamation League. Segundo Gadahn, seu avô era um ‘defensor zeloso’ de Israel.” Há muitos mais exemplos como estes. A ligação para o vídeo abaixo (em inglês) é muito interessante e prova que “ISIS” é dirigido por judeus. Mais uma vez, este vídeo contém informações corrompidas. Veja-o com cuidado e use teu bom julgamento:
http://www.youtube.com/watch?v=CuRot1mvC9k

Há muito mais provas para apoiar isso se fizeres tua pesquisa.

Então, isso levanta a questão, por que todos os líderes de um grupo terrorista supostamente árabe são de facto judeu por sangue? A resposta para isso é que essa não é uma organização terrorista gerida por árabes de forma alguma, mas uma ilusão judaica que tem por objectivo incentivar a destruição dos gentios. Não há dúvida de que são os judeus que estão por detrás dessa operação, uma vez que foram pegos com a boca na botija. São seus agentes que o criaram, seus agentes que o gerem, seus agentes que promovem a ideia de eles supostamente se opôem. São eles do início ao fim.

Esta ligação (em inglês) também menciona como a ADL assumiu o controle dos movimentos neonazis americanos, levando-os à ruína.
http://wideawakegentile.wordpress.com/2014/03/19/adam-pearlman-head-joo-of-the-almossciada

*Nota: eles falam de “conversão do judaísmo para Islão”. Isso na realidade é impossível uma vez que o judaísmo e o Islão são uma e a mesma coisa. Use teu bom senso para ver através da ilusão!! Para encerrar, é bastante evidente que estas organizações terroristas são fachadas utilizadas para colocar nações contra nações e promover a supremacia judaica.

ACORDEM GENTIOS!!

O seguinte artigo é bastante informativo e foi escrito pelo Sumo Sacerdote Mageson. Este contém óptimas informações sobre o “Estado Islâmico”. Leia-o atentamente:

O “Estado Islâmico” que em grande parte saiu do conflito na Síria e seu este conflito que lhes permitiu subir para onde eles estão agora. A maioria dos grupos rebeldes que lutam na Síria são representantes de Washington, Israel e da Arábia, a trindade do poder judaico. Os rebeldes são principalmente combatentes estrangeiros e são treinados na Jordânia que atravessaram a fronteira. Israel tem auxiliado as forças proxies rebeldes dando os acampamentos, hospitais nas Colinas de Golã e armando-os. Bem como ataques aéreos contra as forças da Síria com sua força aérea. Anteriormente na primavera de 2013, Israel usou uma pequena série de armas tático judeucleares em Damasco como parte deste esforço.
Os judeus neocohen ou neocon definiram uma política proposital para o Iraque que fez todo o possível para criar um novo Iraque corrupto, retrógrado e fraco e empurrá-lo a um Estado desestabilizado. As políticas fizeram as pessoas ficarem pasmas de cabelo em pé. Não foi incompetência, foi proposital. O plano para o Iraque era sua dissolução permanente como Nação desde o início. Os judeus não colocaram todo esse esforço para obter duas guerras contra o Iraque para reconstruí-lo em uma nação poderosa que poderia se virar contra eles. É claro que eles tiveram um monte de conversa fiada sobre libertar o Iraque e restringir sua reconstrução. É tudo bobagem. Parte disso foi colocar um governo corrupto xiita no poder que reprimiu os sunitas do cada vez mais. Isso foi crucial para a situação atual a ascensão do Estado Islâmico ao poder. Agora isso é também um movimento de libertação sunita.

As linhas nacionais da Síria e do Iraque também são artificiais que foram criadas pelos ingleses depois de tomar a região dos otomanos. Eles nunca se importaram em considerar regiões tribais e étnicas. Iraque sempre foi sunita, xiita e curdo, e eles nunca gostaram um do outro. Então coloque em uma década de grande desestabilização, as hostilidades étnicas e intromissão pelas potências ocidentais judaicamente controladas, tais como guerras proxy na Síria e na Líbia. É só uma questão de tempo antes que algo como o Estado Islâmico acontecer.

O Estado Islâmico está tomando os principais inimigos organizados de Israel no Oriente Médio, a população xiita. Assad é xiita e assim são seus aliados do Partido de Deus no Líbano, que derrotou Israel duas vezes e por assim foi Teerã. A missão do Estado Islâmico é acabar com todo o mundo xiita. Os judeus também querem o Baathismo eliminado, que é a única ideologia que foi capaz da realização para a criação dos Estados-Nações Árabes Modernos, que estão no caminho de Israel. A Síria é o último estado Baathista remanescente. A Líbia também era um Estado modernizado, progressivo. Eu li o Livro Verde de Kadafi, e era um livro bem feito que delineou o paradigma social, econômico e político da Líbia. Eu escrevi um artigo no passado sobre a Líbia e porque os judeus a destruíram. Gaddafi era um bom homem e um líder moral que arriscou sua vida para erguer seu povo de uma literal idade das trevas, em uma nova sociedade que estava perto de ser utópica. Ele não merecia morrer do jeito que morreu. Milhares de seu povo morreram lutando por esta Líbia contra os representantes judeus que destruíram o país e colocaram-no em barbárie, que é o plano para a Síria.

O Estado Islâmico também parece beneficiar Israel destruindo o Iraque e dividindo-o em um estado onde sunitas, curdos e xiitas estarão em guerra constante. Bagdá estava ficando muito perto de Teerã de qualquer maneira. É minha opinião que o Estado Islâmico era como afirmado estar nas últimas fases de se tornar um exército permanente e a criação de um Estado que vai ficar. Isso irá colocar o Oriente Médio em décadas de guerra sem fim dentro do mundo islâmico. É claro que os judeus podem querer ajudar isso por financiamento e armas. Isso traz o que eles queriam. O Estado Islâmico também lhes dá uma propaganda sem fim e uma desculpa para uma nova intervenção militar ocidental que é a nova retórica que sai de Washington. Também pense em falsas bandeiras como o 11 de Setembro. Eles poderiam puxar um outro deste e eles culpariam o Estado Islâmico a qualquer hora que quisessem.

Assim, se o Estado islâmico não é criado por Israel, ele beneficia a agenda de Israel.

Mas este pode ser o começo do final. É minha reflexão que a situação no Iraque tem pressionado Bagdá para os braços de Teerã, pois eles precisam de sua nação aliada xiita para defender do Estado Islâmico o sul do Iraque, que é xiita. Teerã já enviou tropas. Se o Estado Islâmico ficar bastante poderoso e a Síria de Assad for abaixo, isso vai resultar em grande limpeza étnica de xiitas e outras populações não sunitas, e deixaria o Partido de Deus sozinho entre um califado sunita radical e os radicais sunitas no Líbano, o que é apenas uma questão de tempo para eles. Isso deixaria Teerã isolada e penderia a balança de poder do qual parece precisar de Israel, para então manter a agressão Ocidental em cheque contra eles. O que significa que Teerã estaria dizimada. Por um conjunto de sanções econômicas sobre eles e guerra constante contra o Estado islâmico, que a este ponto é um grande exército permanente de fanáticos com interminável Jihad na cabeça, que também juraram conquistar o Irã. Pense em como a sangrenta guerra Irã-Iraque foi. Essa guerra foi o ocidente judaico usando o Iraque como representante contra o Irã. O que seria então com mais uma rodada com o Estado Islâmico? A guerra anterior ainda é forte na consciência popular dos iranianos. Foi devastadora.

Porventura, olhando para o possível fim e próximo evento de extinção do mundo xiita, talvez Damasco, Teerã e do Partido de Deus poderiam decidir soltar tudo o que eles têm na Arábia Saudita e Israel, as duas principais bases da guerra contra eles no Oriente Médio. Acredito que a situação no Oriente Médio poderia ter finalmente entrado num ponto sem volta. Se isso acontecer, Israel poderia usar suas opções de sansões talvez não apenas em alvos do Oriente Médio, mas como seus líderes se gabam, em alvos europeus. Os judeus já estão abandonando a Europa em massa. Sua liderança criminosa insana já pode ver o fim de Israel como o verdadeiro final e decidiu usar sua política de arrasar a Terra nos odiados goyim em geral.

O grande fator é o mundo abraâmico onde todos acreditam que tem que haver uma guerra global nesta região para trazer o fim do mundo e o retorno de seu deus. O poder do inconsciente coletivo de centenas de milhões de pessoas com a energia psíquica de séculos serviu para isso e a quantidade de pessoas atadas a este programa nos mais altos níveis de controle e poder internacional podem levar isso em realidade.

O judeu está no meio onde McInsano põe dólares israelenses e fluxo de interesses:
www.voltairenet.org/article185101.html

VOLTAR PARA EXPONDO O ISLÃO

VOLTAR PARA OS SERMÕES